Audiência Pública organizada pela Assembleia Legislativa volta a debater sobre o pedágio no Paraná

Gostou deste conteúdo? compartilhe...

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A Assembleia Legislativa do Paraná, voltará a debater questões referentes a implementação de pedágios. Na próxima quarta-feira (13), às 14 horas, acontece a audiência pública “Análise Técnica do novo modelo de pedágio no Paraná: aspectos legais, financeiros, diagnóstico de risco e impacto nos municípios”.

A audiência está sendo organizada pela Frente Parlamentar sobre os Pedágios.

“Estamos acompanhando de perto o processo da nova concessão e esta audiência servirá para dividir informações e, principalmente, debater com os gestores municipais os impactos que as obras previstas terão nos sistemas de mobilidade das nossas cidades”, comentou o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD).

“Continuamos numa luta enorme. Impedimos o mal maior que queriam fazer com o Paraná, que era cobrar uma taxa de outorga, mas há muitos questionamentos sobre o programa criado pelo Ministério da Infraestrutura. A proposta ainda não é ideal, mas estamos trabalhando junto ao Tribunal de Contas da União para poder melhorar o projeto antes que aconteça a licitação”, disse ainda o deputado.

Romanelli destaca que os deputados almejam que os paranaenses não sejam explorados por empresas da iniciativa privada, no que se refere ao pagamento da taxa.

“Queremos reduzir o preço da tarifa e garantir que as obras sejam realizadas. Os paranaenses não podem, mais uma vez, ser enganados pelas concessionárias de pedágio. Este é o nosso objetivo”, comentou ele.

A apresentação dos dados durante a audiência ficará a cargo do Instituto de Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI), vinculado à Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Entre os dados que são alvos de estudo do órgão: questões como degraus tarifários e faixas de descontos sem justificativa técnica; descontos tarifários limitados pelos aportes; tarifas oneradas pela garantia cambial; risco de abusos nas receitas estimadas; e interferência nos municípios.

“Convido a todos para que acompanhem a apresentação dos novos estudos da UFPR, que contratamos para fazer uma análise de vários aspectos do projeto proposto pelo Ministério da Infraestrutura”, finalizou o deputado Romanelli.

PARCEIROS