Colégios Cívico- Militares elegem vereadores mirins nesta quinta-feira (23)

Gostou deste conteúdo? compartilhe...

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Estimular os estudantes a exercer a cidadania despertando neles o interesse pela política, esse é o objetivo do Projeto Parlamento Jovem desenvolvido nos Colégios Cívico-Militares de Paranaguá.

Para colocar a iniciativa em prática, nesta quinta-feira (23), serão realizadas as eleições para a escolha de 19 vereadores mirins, seguindo a quantidade de vereadores atuantes na cidade. Serão três vagas para cada colégio cívico- militar e o maior ficará com quatro representantes. A votação começou às 8 e segue até às 16 horas.

E quem imagina que as eleições ocorrem de forma improvisada, se engana. Toda uma estrutura é montada, serão usadas até mesmo urnas eletrônicas. O Projeto Parlamento Jovem é promovido pela Escola Judiciária Eleitoral do Paraná em parceria com os cartórios eleitorais e com as Câmaras Municipais.

Entre as instituições participantes está a Escola Cívico- Militar Faria Sobrinho, a qual, desenvolveu filiações partidárias e convenções partidárias.  A diretora Liliana Kffuri, falou sobre o projeto, como funciona e destacou sua relevância no âmbito escolar.

“A função do desenvolvimento desta proposta é eleger os vereadores mirins de Paranaguá, mediante o processo democrático de escolha utilizando urnas eletrônicas e títulos fictícios em parceria com o TRE e o cartório eleitoral de Paranaguá para que todos os processos sejam análogos aos de uma eleição autêntica. Os alunos participaram de todos os processos até o momento da eleição: as reuniões, convenções partidárias, filiação dos partidos, escolha dos candidatos, campanha eleitoral pública e a eleição”.

A diretora continua. “O aluno escolhido pelo processo democrático do voto receberá subsídio formativo em uma ação em parceria com a câmara municipal para que aprenda as competências de um vereador, o funcionamento das comissões e a forma de elaborar um projeto de lei para exercer seu mandato. Ao final do seu mandato, em dezembro, os vereadores escolhidos poderão apresentar, em sessão plenária, uma proposta de lei, elaborada e pensada coletivamente com seus colegas e com base nas realidades vivenciadas”.

De acordo com Liliana, o Projeto Parlamento Jovem ainda contribui com o desenvolvimento do senso crítico e de responsabilidade nos estudantes.

“Todo projeto proposto dentro da escola tem sua fundamentação, pensado e elaborado para despertar no aluno seu senso crítico e de responsabilidade. Este proporcionou aos alunos a possibilidade de pensar na sua atuação perante a sociedade e observar a realidade que nos cerca para discutir ações e propostas que envolvam os problemas que podem ser possivelmente podem ser solucionados. Analisar seus representantes atuais e analisar, se suas propostas cabem a todos”, completa ela.

PARCEIROS