Fisioterapia pós COVID-19: saiba a importância deste tratamento para seu sistema respiratório

Gostou deste conteúdo? compartilhe...

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Segundo dados do Ministério da Saúde, mesmo após a cura da COVID-19, mais de 45% dos infectados continuam com algum tipo de sintoma ou desenvolvem novos problemas ligados à doença.  E uma medida importante que está sendo colocada em prática, é a fisioterapia respiratória. Trata-se de uma especialidade da fisioterapia que visa a prevenção e o tratamento de praticamente todas as doenças que atingem o sistema respiratório como a asma, bronquite, insuficiência respiratória e tuberculose.

Nossa equipe foi até o doutor Wilson Junqueira Neto, que é formado em Fisioterapia pela Faculdade Evangélica do Paraná, pós-graduado em Fisioterapia Neurológica pela UP, especializado em Neuropediatria pelo Instituto Brasileiro de Terapias Manuais (IBRATE), proprietário da Clínica São Lucas, ele atende diversas pessoas com esse problema. Ele iniciou falando sobre o que a Covid-19 causa no paciente. “Um dos principais sintomas da covid é a fadiga muscular, o cansaço muscular propriamente dito, e a covid afeta principalmente os pulmões, órgão responsável principalmente na distribuição do oxigênio para todo músculo do corpo, por isso a musculatura sem oxigenação necessária causa este cansaço muscular”.

 

Causas dos problemas

“A síndrome pós Covid-19 é uma complicação decorrente da infecção pelo novo coronavírus. Considerada como uma condição inflamatória difusa e multissistêmica, ela está associada a problemas no sistema nervoso central e musculoesquelético. Os sintomas mais comuns da síndrome são: fadiga intensa, dor crônica, fraqueza muscular, dificuldade para respirar, déficits cognitivos, como alterações de memória e fadiga mental. Ainda sobre esse assunto, Junqueira diz que “os sintomas da síndrome pós Covid-19 são persistentes, chegando a durar vários meses, mesmo após a recuperação da Covid-19”.

Importância da Fisioterapia

“Baseado nesses dados, a Fisioterapia pode ser preventiva, de forma a otimizar a prevenção destes sintomas, durante o próprio quadro instalado da covid-19, e após a infecção, melhorando os sintomas e sequelas da doença. Muitas pessoas, relatam, falta de paladar, assim como cheiro, onde se pode trabalhar, “treinando” novamente estes sentidos. É importante, ser acompanhado por um profissional Fisioterapeuta, o quanto antes, afim de minimizar estes efeitos deletérios do vírus, que traz consigo, geralmente uma internação prolongada. Vale lembrar que a importância da Fisioterapia, é investimento em redução de custos, uma vez que as sequelas, implicam em fatores incapacitantes muitas vezes”.

Procura pós contaminação

Doutor Wilson falou que a procura é alta e diz que “desde o final do ano de 2020 tivemos uma demanda muito grande de pacientes pós covid, e cada quadro clínico é único e diferente do outro paciente, hoje graças a Deus estamos muito satisfeitos com o nosso trabalho onde devolvemos a alegria de um simples fato de respirar ao paciente.”

Além da fisioterapia, Doutor Wilson destaca a importância da atividade física para melhora dos pacientes. “além de estar indicada com todas as restrições de segurança, ela auxilia na melhora do condicionamento físico até aos pacientes que já pegaram a covid, porém tem que ser auxiliada por um profissional especializado na área” destacou.

PARCEIROS