Médica que atua na Ilha dos Valadares denuncia agressão e descaso da FASP

Gostou deste conteúdo? compartilhe...

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Segundo uma matéria publicada no site do Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná (SIMEPAR), uma médica que trabalha para a Fundação de Assistência à Saúde de Paranaguá (FASP) está denunciando que sofreu agressões vindas de um paciente, enquanto trabalhava, na Ilha dos Valadares.

A médica também diz que a FASP foi omissa com relação ao fato e que teria a obrigado a continuar trabalhando após as agressões, mesmo com a profissional alegando que não tinha condições físicas e psicológicas para dar sequencia aos atendimentos.

O caso aconteceu na última terça-feira (10) e só não teve um desfecho pior, porque uma técnica em enfermagem interviu.

Com o descaso da FASP, a médica teve que procurar atendimento para si mesma em uma clínica particular, após finalizar o plantão. No momento em que tudo aconteceu, ela era a única atendendo no pronto atendimento da Ilha dos Valadares, cuja população ultrapassa os 30 mil habitantes.

“Para o Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná (Simepar), o caso revela a sobrecarga de trabalho e os riscos a que os médicos que atendem na linha de frente estão expostos diariamente. O fato da médica ter sido pressionada a se manter no plantão, mesmo após uma pesada agressão, retrata a precarização do SUS como um todo e deve ser revertida. Pelo bem da saúde e dos profissionais. É obrigação dos empregadores garantir a segurança e a integridade física dos profissionais”, disse o Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná em matéria publicada em seu site sobre o assunto.

PARCEIROS