Projeto Tarifa Zero no Transporte Público causa polêmica em Paranaguá

Gostou deste conteúdo? compartilhe...

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Na sessão da Câmara de Vereadores desta sexta-feira (03), será colocado em pauta para a votação o Projeto “Tarifa Zero no Transporte Público” criado pela Prefeitura de Paranaguá. O projeto tem o objetivo de isentar toda a população da cidade da tarifa do transporte público.

No entanto, o assunto tem gerado polêmica e dividido opiniões. Uma nota que está sendo atribuída a funcionários da Prefeitura Municipal de Paranaguá e que circula pelas redes sociais, alega que o Projeto “Tarifa Zero no Transporte Público” irá fazer com que os professores e demais funcionários da Prefeitura Municipal de Paranaguá, percam seu benefício de indenização de transporte e passem a usar os ônibus.

“Quem usa esse benefício para gasolina, Uber, ou até mesmo arrumar sua bicicleta, não contará mais com esse auxílio. Temos professores que trabalham em duas escolas, uma de manhã e outra na parte da tarde e passarão seu horário de almoço no ônibus. Haverá atrasos significativos no atendimento às crianças nas escolas. Sem contar que serão mais 5 mil pessoas usando as linhas de ônibus da Viação Rocio”, diz parte da nota.

A nota de manifestação ainda completa “queremos a implementação de políticas públicas que favoreçam a população, mas não a retirada daquilo que já nos é de direito”.

“A votação entrará na pauta da sessão extraordinária desta sexta-feira (03) a partir das 15 horas e havendo maioria o projeto será aprovado. O público pode acompanhar a votação pela internet através do site da Câmara de Vereadores de Paranaguá, pelo nosso canal do Youtube e também quem quiser estar presente pode comparecer ao Palácio Carijó portando máscara, obedecendo o distanciamento social e apresentando carteira de vacinação com pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19”, comentou a assessoria da Câmara de Vereadores de Paranaguá.

Sobre o assunto, a prefeitura de Paranaguá se manifestou dizendo apenas que “a expectativa é que o projeto seja aprovado”.

PARCEIROS